Usinas se preparam para a safra 22/23

Após as fortes chuvas ocorridas em junho, que levaram a perdas de vidas e prejuízos em Alagoas, onde as inundações causaram danos aos parques industriais em pelo menos duas unidades do setor sucroenergético do Estado, as usinas se preparam para a safra 22/23.

Com a entressafra na reta final, as unidades iniciam o trabalho de manutenção e de montagem de novos equipamentos na indústria. O novo ciclo deve contar com 15 unidades industriais em operação no Estado.

Prevista para começar pela maioria das unidades em setembro e com a expectativa de manter a curva de crescimento, a safra 22/23 pode ser antecipada por algumas usinas, a exemplo da Pindorama que deve colocar as caldeiras em funcionamento na segunda quinzena de agosto.

“Com a redução da precipitação pluviométrica, o setor fica atento ao crescimento da safra, havendo a expectativa de aumento na quantidade de cana beneficiada caso as chuvas ocorram nos próximos meses de forma regular e na quantidade necessária para o desenvolvimento do canavial”, afirmou o presidente do Sindaçúcar-AL, Pedro Robério Nogueira.

Apesar dos prejuízos, as chuvas também foram responsáveis por uma melhora do canavial, que, mais novo e com os devidos tratos culturais, pode levar a um possível aumento na quantidade de cana moída.

No ciclo passado, as unidades industriais processaram mais de 18,2 milhões de toneladas de cana, além de terem produzido 1,4 milhão de toneladas de açúcar e mais de 447 milhões de litros de etanol.