Reunião do Consecana avalia resultados da safra 20/21

Representantes do Conselho de Produtores de Cana-de-açúcar e Etanol dos Estados de Alagoas e Sergipe (Consecana-AL/SE) estiveram reunidos, nesta sexta-feira, 03, para a apresentação do tradicional fechamento dos preços da ATR de agosto, reforçando que o modelo adotado pelo colegiado tem uma sistemática de cálculos correto.

O encontro, realizado no auditório da Asplana, contou com a presença também de fornecedores de cana e das usinas alagoanas. “Mostramos todos os números da safra no que diz respeito a qualidade e pagamento de cana pelo teor de sacarose. Foi uma safra positiva em termos de preço. Ela foi superior ao ciclo passado em torno de 20% a 30%”, afirmou o assessor Técnico do Sindaçúcar-AL, Cândido Carnaúba, responsável pela palestra realizada na reunião.

ATR

O ATR que finalizou a safra 20/21 fechou o ciclo da cana em Alagoas com variação de – 1,8% registrada no mês de agosto. Entre os produtos que fazem parte do mix da cana em Alagoas, o VHP destinado ao mercado americano teve queda de preço. De acordo com dados do Consecana, o saco passou de R$ 212,15 em julho para R$ 207,71 em agosto. Já o VHP comercializado com o mercado mundial manteve o preço praticado em julho, ficando em R$ 94,47.
Por outro lado, correndo no sentido contrário, o açúcar cristal, que tem como destino o mercado interno, teve variação positiva. O saco subiu de R$ 123,24 para R$ 125,82.

De acordo com o levantamento técnico realizado pelo CEPEA/ESALQ/USP, tanto o etanol anidro, quanto o hidratado repetiram os preços praticados em julho. Segundo a planilha, o metro cúbico do etanol anidro permaneceu a R$ 3.341,56, enquanto o do hidratado a R$ 3.229,19.