Presidente do Sindaçúcar-AL aposta em crescimento na safra 21/22

Com a safra 21/22 iniciada em Alagoas por duas das 15 unidades industriais, que estarão em operação neste novo ciclo da cana, o presidente do Sindaçúcar-AL, Pedro Robério Nogueira, declarou que a safra deve apresentar uma moagem superior à registrada em 20/21. A expectativa é que sejam processadas mais de 18 milhões de toneladas de cana.
“Isso é decorrente da adequação climática, sobretudo no que diz respeito a pluviosidade observada, principalmente, a partir do mês de junho. Será uma safra alvissareira”, afirmou Nogueira.
O dirigente do setor sucroenergético alagoano afirmou ainda que o novo ciclo da cana no Estado também vem acompanhado de um novo segmento de comercialização, a venda direta de etanol e que terá eficácia a partir de 1º de dezembro.
“Já temos mercado e destinos consolidados do açúcar para exportação, mercado interno e para o álcool anidro, além do hidratado comercializado por intermédio das distribuidoras. Agora, teremos este outro segmento que será usado pelos produtores de etanol para a venda direta aos postos, tirando a intermediação das distribuidoras do processo. Com isso, poderá haver uma redução de custos que poderá refletir na redução de preços”, destacou Nogueira.
Segundo ele, a venda direta não se trata de um canal substituto, mas se apresenta como mais uma opção de comercialização que é colocada à disposição do sistema produtor de etanol. “Esse canal oferta racionalidade na logística, tentando melhorar margens com o objetivo, sobretudo, de se chegar mais rápido ao consumidor. É o início de um processo. Estamos mudando uma regra de décadas”, reforçou.