Skip to content

Leilões de animais devem ter faturamento de R$ 1,5 milhão

Notícias

  • Home
  • /
  • Notícias
  • /
  • Leilões de animais devem ter faturamento de R$ 1,5 milhão

Leilões de animais devem ter faturamento de R$ 1,5 milhão













Gazeta de Alagoas
 
 



A partir de amanhã, as atenções dos pecuaristas alagoanos estarão voltadas para os negócios em torno dos leilões de animais. Nos próximos dez dias serão realizados pelo menos nove remates no Parque da Pecuária e na Fazenda Varrela, em São Miguel dos Campos.

A Expectativa é de um faturamento superior a R$ 1,5 milhão nos leilões. O primeiro deles, marcado para amanhã, é o de Cavalos de Sela, que vai ofertar cavalos Campolina e Mangalarga Marchador prontos para montar.

O domingo, 3, será marcado pela estréia do Leilão Nelore Barros Correia e Convidados, que vai ofertar 40 lotes de bovinos nelore padrão.

Na seqüência serão realizados ainda os leilões de Bezerros de Corte, Multiaves e Convidados, Fazenda Bom Jardim, Maceió Horse Show, Leiloleite, Ovinos de Alagoas e Nelomilha.

Dentre estes remates, o Maceió Horse Show, o Multiaves e o Leiloleite, além do Barros Correia, se realizam pela primeira vez.

É uma demonstração, na avaliação dos especialistas, de que o momento é bom para investir. “O negócio de leilões tem se profissionalizado em Alagoas. Estamos construindo um novo momento, uma nova página desta história”, diz Rodrigo Loureiro, diretor da Agreste Leilões.

Avestruzes

Entre as novidades, a que chama mais a atenção do setor é o remate da Multiaves. É a primeira vez que será realizado no Estado um leilão só de avestruzes.

“ Estamos bastante otimistas. No leilão do Fernando Coutinho, realizado agora em outubro, fizemos um teste, colocando três lotes à venda. E foi um sucesso. Pela procura por informações e pelo número de pessoas que estão adquirindo convites, estamos confiantes de que nosso leilão será muito bem sucedido”, diz o empresário João Costa, diretor da Multiaves.

No remate serão ofertados 43 lotes de avestruzes, totalizando mais de 200 aves. “Teremos animais pronta entrega e venda futura”, adianta.

Corte

Outra boa aposta do setor é nos remates tradicionais, a exemplo do Bezerros de Corte. Com o aumento do preço do boi gordo e a escassez de animais para recria e engorda no mercado local, os organizadores acreditam no sucesso do leilão, programado para o dia 4 de novembro.

“ O criador sabe que a hora é boa para investir. Por isso, esperamos, mais uma vez quebrar o recorde de participação e de faturamento.”, afirma André Melo, diretor da Agreste leilões.