Caeté integra Plano de Ação Estadual para conservação de ave ameaçada de extinção

Representantes da Usina Caeté participaram, na quarta-feira (08), de uma reunião que visa elaborar um Plano de Ação Estadual para conservação dos papagaios-chauás, espécie ameaçada de extinção. Sessenta exemplares da ave chegaram ao Estado de Alagoas na manhã desta quarta-feira, e ficarão sob os cuidados do Instituto para Preservação da Mata Atlântica (IPMA), no parque zoobotânico do Centro de Educação Ambiental Pedro Nardelli, em Rio Largo (AL). As aves são originárias do litoral que se estende do sul de Alagoas ao Rio de Janeiro e foram apreendidas em operações de combate ao tráfico de animais silvestres.

De acordo com o diretor Administrativo da Usina Caeté, Paulo Couto, uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) da empresa, em São Miguel dos Campos, será um dos locais para a soltura de alguns exemplares dessas aves. A ação foi determinada após o convite formulado pelo promotor de Justiça, Alberto Fonseca, e pelo presidente do IPMA, Fernando Pinto. “A RPPN Salvador Lyra compõe um mosaico de outras RPPNs, cujos proprietários também estão envolvidos nesse projeto. Estamos lisonjeados com o convite e nossa empresa está de portas abertas para iniciativas de conservação ambiental. Entendo que estamos tratando de uma parceria longeva. A Usina Caeté sempre se preocupou com a questão ambiental. Nós temos nos remanescentes de mata atlântica um ativo extremamente importante, que foi chancelado através da criação de sete RPPNs só no Estado de Alagoas”, destacou Paulo Couto.

Durante a reunião, o diretor Administrativo, acompanhado da coordenadora ambiental, Fátima Araújo, e do advogado Quirino Fernandes Neto, parabenizou o Ministério Público e o IPMA pela iniciativa, e reafirmou o compromisso do Grupo Carlos Lyra em compor o seleto grupo gestor do projeto. A coordenadora ambiental também salientou a importância da iniciativa, e colocou à disposição alguns projetos de levantamento de fauna e flora realizados por pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) em áreas de mata pertentes à Usina Caeté.

Na oportunidade, os promotores Alberto Fonseca e Lavínia Fragoso destacaram a participação do setor sucroenergético, que detém as áreas de mata atlântica. O professor doutor da Universidade de São Paulo (USP), Luís Fábio Silveira, assinalou a atuação de Alagoas na vanguarda do programa de criação de RPPNs e de reintroduções de espécies e que, em novembro, já deve ocorrer a reintrodução dos papagaios-chauás nos locais já identificados.

O projeto de reintrodução dos papagaios-chauás conta com a participação do Ministério Público de Alagoas (MPAL); Instituto para Preservação da Mata Atlântica (IPMA); Instituto do Meio Ambiente (IMA); Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh); Batalhão de Proteção Ambiental (BPMA); Universidade Federal de Alagoas (Ufal); Universidade de São Paulo (USP); Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR); Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio/CEMAVE), das Usinas Caeté, Sumaúma, Coruripe e Utinga e do Grupo Luís Jatobá.