Notícias

Usina Santo Antônio comemora a preservação ambiental

No mês que se comemora o dia do meio ambiente a Central Açucareira Santo Antônio festejou os dez anos de criação da Reserva Ecológica Santo Antônio, localizada no município de São Luís do Quitunde. Para celebrar a data, um dia de atividades ambientais foi realizado na reserva, que conta com uma área de 300 hectares, contando com a soltura de animais.
“Comemoramos os dez anos de inauguração desse espaço que é uma RPPN reconhecida pela Unesco e que tem a parceria com todos os órgãos de meio ambiente do Estado. Tínhamos esse projeto deste 2003, com reflorestamento de algumas áreas. Recuperamos toda a mata ciliar dos rios dessa região. Desde 2011, começamos a usar essa área para fazer trabalhos de educação ambiental, onde alunos de escolas do litoral norte do Estado participam de ações de conscientização ambiental”, afirmou Marcos Maranhão, superintendente Agrícola da usina Santo Antônio.
No evento, que seguiu todos os critérios de prevenção a covid – 19, também foi apresentada a retrospectiva de uma década de criação da reserva. O encontro, que contou com a participação de diretores e funcionários das duas unidades da agroindústria canavieira que formam a central açucareira (Santo Antônio e Camaragibe), teve ainda a realização de palestras de representantes do Ibama, IMA, Batalhão de Polícia Ambiental e do IPMA.
“As principais áreas de mata do Nordeste estão com as usinas. A mata atlântica é um dos biomas mais ameaçados do planeta. Todas as usinas alagoanas se associação com o IPMA com o propósito de trabalhar a educação ambiental, reflorestamento e a criação de unidades de conservação. A Santo Antônio é um exemplo. Criou duas RPPN e um centro de educação ambiental, além de um programa de reflorestamento”, destacou Fernando Pinto, presidente do Instituto para Preservação da Mata Atlântica (IPMA).
Além da Reserva Ecológica Santo Antônio, a empresa mantém, no município de Matriz de Camaragibe, a Serra D’Água. A Santo Antônio conta ainda com um viveiro de mudas nativas que produz mais de 80 espécies de Mata Atlântica na RPPN Santo Antônio.
“É importante mostrarmos o lado bom da indústria que tem que estar em sintonia com o meio ambiente. A Reserva Ecológica Santo Antônio funciona como uma vitrine do que a usina faz em defesa da natureza. Uma indústria sucroalcooleira tem que mostrar o trabalho de preservação dos rios, matas e matas ciliares. Neste período, recuperemos muitas nascentes”, destacou Maranhão.

Esta entrada foi publicada em Notícias. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Faça seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>