Notícias

Sindaçúcar-AL aposta na retomada no crescimento do setor

A safra 18/19 chegou ao fim em Alagoas com o beneficiamento de quase 16,5 milhões de toneladas de cana. A estimativa inicial do setor sucroenergético, que no ciclo passado processou apenas 13,7 milhões de toneladas de cana, era moer pouco mais de 15 milhões de toneladas.
“Foi uma safra que esteve dentro das nossas expectativas com viés de alta. Isso representa a inflexão da curva descendente. Afinal, tivemos três safras sucessivas de queda. Agora, suponho, começamos um processo de recuperação”, declarou o presidente do Sindaçúcar-AL, Pedro Robério Nogueira.
De acordo com o dirigente do segmento canavieiro alagoano, este processo de recuperação ainda não seria reflexo das condições financeiras plenas das usinas, mas fruto de uma aparente normalidade climática.
“As chuvas que permanecem caindo no Estado estão nos credenciando para que tenhamos a próxima safra também com números positivos. Apesar de o clima ser algo que muda muito rapidamente, a nossa expectativa é de que tenhamos dias melhores para o setor. Mas, a pluviosidade no período de desenvolvimento da cana está normal. Com isso, podemos assegurar que teremos uma safra melhor. O que precisamos agora é equacionar a questão financeira que tem uma parte de preços e outra de financiamento. Estamos trabalhando nesta direção”, afirmou o presidente do Sindaçúcar-AL.
Na safra 18/19, que contou com a participação de 15 unidades industriais, de acordo com os números da produção acumulados até o dia 15 de abril, foram produzidas quase dois milhões de toneladas de açúcar dos tipos VHP e cristal, o que representa um aumento próximo aos 12% ante ao mesmo período da moagem passada. Na moagem passada a produção era de pouco mais de um milhão de toneladas.
Quanto à produção de etanol, foram produzidas até a primeira quinzena de abril mais de 498 milhões de litros do biocombustível. Em comparação ao mesmo período do ciclo passado, quando o acumulado era de 331 milhões de litros, houve um aumento superior a 50%.

 

Esta entrada foi publicada em Notícias. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Faça seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>